Fidel Castro diz que golpe no Equador 'está perdido'

O líder cubano Fidel Castro assegurou nesta quinta-feira que o golpe de Estado no Equador "já está perdido" pela "firmeza" do presidente Rafael Correa, pela organização popular e pelo apoio internacional ao presidente, em um artigo publicado no site digital Cubadebate.

"O presidente Rafael Correa mostra-se firme e insubmisso. O povo está muito mais organizado. O golpe, na minha opinião, já está perdido", disse Fidel, 84 anos, em seu texto "Notícias inverossímeis", no qual destacou também que "as condenações ao golpe se multiplicam" na América Latina.

"Os líderes latino-americanos com mais prestígio, como (o presidente da Venezuela, Hugo) Chávez e (o da Bolívia) Evo (Morales), fizeram suas enérgicas denúncias serem ouvidas", completou Fidel, que mantém intensa atividade desde julho passado, recuperado da grave doença que o afastou do poder em 2006.

O governo do presidente Raúl Castro expressou nesta quinta-feira sua "mais enérgica rejeição" ao "golpe de Estado" no Equador e pediu aos Estados Unidos uma condenação para não ser "cúmplice", segundo uma declaração lida à imprensa pelo chanceler Bruno Rodríguez.