EUA condenam qualquer tentativa de golpe no Equador

Estados Unidos condenam qualquer tentativa de violar a ordem constitucional no Equador, afirmou nesta quinta-feira a representante de Washington na Organização dos Estados Americanos (OEA), Carmen Lomellin.

"Estados Unidos condenam qualquer tentativa de violação do processo democrático e da ordem constitucional no Equador", disse Lomellin durante a reunião de emergência convocada pela OEA para analisar os acontecimento no país sul-americano.

Diante da onda de protestos de policiais e militares, que tomaram regimentos e aeroportos, o presidente equatoriano, Rafael Correa, denunciou uma tentativa de golpe de Estado e decretou o estado de exceção.

"Apoiamos o governo democrático no Equador. Apoiamos o governo do presidente Correa", destacou Lomellin.

"Alentamos à resolução da disputa por meio do respeito e do diálogo envolvendo todas as partes", disse a diplomata americana.

O porta-voz do departamento americano de Estado, Philip Crowley, assinalou que os Estados Unidos acompanham de perto os acontecimentos no Equador.

Mike Hammer, porta-voz da Casa Branca, manifestou o "apoio total" dos Estados Unidos ao presidente Correa e a "todas as instituições democráticas do Equador"

"Urgimos a todos os equatorianos a resolver esta situação pacificamente e com total respeito à lei".

A porta-voz para a América Latina do departamento de Estado, Charles Luoma-Overstreet, disse que "a sociedade equatoriana em seu conjunto deve se unir e dialogar".