Equador: partidários de Correa enfrentam policiais rebelados

Policiais rebelados e partidários do governo equatoriano se enfrentaram nesta quinta-feira na zona do hospital de Quito onde permanece cercado o presidente Rafael Correa, constatou a AFP no local.

Partidários de Correa foram cercados por quase 100 policiais motorizados quando seguiam para o centro médico da Polícia, no norte de Quito, onde o presidente está isolado após ser agredido em meio aos protestos contra a redução de salários dos agentes.

Os manifestantes, que carregavam bandeiras do movimento governista Aliança País, foram dispersados pelos policiais rebeldes com bombas de gás lacrimogêneo.

Os policiais "nos atacaram com bombas, pedras e tijolos", disse à AFP Fabián Manzanillas, de 34 anos.

"Nos agrediram com chutes, foram muito agressivos", revelou Pablo Suárez.

Os policiais rebelados também assumiram o controle da Assembleia Legislativa, mas os 150 homens da Força Aérea Equatoriana que ocuparam o Aeroporto Internacional de Quito já abandonaram o local.