Quatro anos de reformas econômicas de Raúl Castro

 

O presidente de Cuba, Raúl Castro, autorizou a abertura de licenças a partir de outubro de pequenos negócios em 178 ramos, como parte da reforma do modelo econômico cubano que empreendeu há quatro anos ao substituir seu irmão doente, Fidel Castro.

- 2007

Julho: Raúl Castro anuncia "mudanças estruturais e de conceito" na economia.

- 2008

Janeiro: impostos a cubanos que recebem compensações salariais em dólares por trabalhar em empresas estrangeiras.

Março: autoriza a venda de computadores e celulares e elimina a proibição de se hospedar em hotéis e alugar automóveis, antes reservados a turistas estrangeiros. Aumenta preços de compra de produtos agrícolas aos camponeses e abre lojas de ferramentas.

Agosto: elimina o teto salarial e aprova sistema de pagamento por rendimento.

Setembro: começa distribuição de terras ociosas. Até agora, foram entregues 1 milhão de hectares a 100.000 pessoas.

Novembro: congelamento de contas bancárias de empresas estrangeiras, limitando operações e repatriação de lucros.

- 2009

Janeiro: eliminação de estímulos subsidiados a trabalhadores em restaurantes e hotéis.

Março: renovação quase total da equipe econômica herdada de Fidel Castro e liderada pelo vice-presidente, Carlos Lage, destituído sob acusação de ser "indigno" e de ter "ambição por poder".

Abril: começa ajuste do orçamento que reduz em 30% as importações e os gastos governamentais em investimentos e outras atividades. São colocados em andamento programas de agricultura perto das cidades para reduzir o tempo de transporte de mercadorias.

Julho: autoriza o "pluriemprego", incluindo a estudantes.

Agosto: é criada a Controladoria Geral da República para combater o gigantesco rombo de recursos do Estado.

Setembro: abre licenças de transporte privado de carga e passageiros.

Outubro: começa processo de fechamento dos restaurantes operários, que eram subsidiados, com uma compensação em dinheiro aos atingidos.

Novembro: são eliminados os três primeiros produtos da cesta básica: ervilha, batatas e chocolate, e vendidos de forma livre a preços maiores.

- 2010

Abril: começa o processo de cooperativização de barbearias e cabeleireiros estatais.

Março: suspende a isenção tarifária a milhares de colaboradores e funcionários em vários países.

Agosto: autoriza a venda de produtos agrícolas em quiosques nas periferias de povoados e cidades.

Aumenta de 50 para 99 anos o "direito de superfície" sobre terrenos destinados a investimentos turísticos, especialmente campos de golfe e marinas.