Paquistão quer repatriar cientista condenada nos EUA

      ISLAMABAD - O governo do Paquistão se declarou "decepcionado" nesta sexta-feira com a condenação a 86 anos de prisão de uma cientista paquistanesa, que disparou contra soldados americanos no Afeganistão, e afirmou que tentará trazê-la de volta. "Estamos decepcionados e entristecidos com o veredicto, mas o governo não desistiu", declarou à AFP Abdul Basit, porta-voz do ministério paquistanês das Relações Exteriores. "Daremos seguimento a nossos esforços para repatriar Aafia Siddiqui para o Paquistão", acrescentou.

Siddiqui, 38 anos, especialista em neurociência que estudou nos Estados Unidos, no prestigiado Massachusetts Institute of Technology (MIT), foi condenada na quinta-feira por um tribunal federal de Nova York a 86 anos de prisão. Segundo a acusação, Siddiqui foi detida em julho de 2008 no Afeganistão. Quando agentes americanos do FBI e oficiais do exército foram vê-la em sua cela, ela sacou uma arma e disparou, sem ferir ninguém. Um dos militares reagiu ao ataque, ferindo-a no peito.