Amorim afirma que mundo não pode correr risco de uma guerra com Irã

 

     NOVA YORK - O ministro das Relações Exteriores brasileiro, Celso Amorim, afirmou nesta quinta-feira na ONU que o mundo não pode correr o risco de um guerra no Irã, como a iniciada pelos Estados Unidos no Iraque, e pediu que prevaleça a lógica do diálogo.

 

"O mundo não pode correr o risco de um novo conflito como o do Iraque", disse o chanceler Celso Amorim no discurso que abriu o debate anual da Assembleia Geral da ONU. "Apesar das sanções, esperamos que a lógica do diálogo e da compreensão prevaleçam", completou.

 

O Brasil obteve este ano com a Turquia uma solução negociada para a polêmica nuclear entre o Irã e as potências ocidentais. No entanto, a mediação não impediu a adoção de novas sanções internacionais contra o governo iraniano.