Luxemburgo considera mal-intencionadas as críticas de Sarkozy

Agência AFP

LUXEMBURGO - O ministro luxemburguês das Relações Exteriores, Jean Asselborn, considerou nesta quarta-feira mal-intencionadas as críticas do presidente francês Nicolas Sarkozy à comissária europeia da Justiça, Viviane Reding, a quem sugeriu que recebesse os ciganos expulsos da França em seu próprio país, Luxemburgo.

"Não é Viviane Reding enquanto luxemburguesa de quem ele falou (...) e sim enquanto comissária europeia e responsável pela pasta da Justiça", declarou Asselborn à AFP.

"Misturar a nacionalidade da comissária com Luxemburgo é algo mal-intencionado", acrescentou. "Sei que Nicolas Sarkozy tem problemas com os luxemburgueses, mas não se pode exagerar", alfinetou ainda.

Sarkozy sugeriu nesta quarta-feira que a comissária europeia, que criticou duramente a França por expulsar os ciganos, os receba em Luxemburgo, indicaram os senadores da maioria de direita ao final de um almoço com o chefe de Estado.

"Ele disse que não se fez mais que aplicar os regulamentos europeus, as leis francesas e que não há absolutamente nada para reprovar a França na questão, mas que se os luxemburgueses quiserem recebê-los (os ciganos), não tem problema", indicou um senador da UMP, Bruno Sido.

A comissária Viviane Reding criticou duramente na véspera a política de expulsão de ciganos aplicada pela França, e fez um paralelo com as deportações realizadas por nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

O Executivo europeu apoiou nesta quarta-feira Reding ao afirmr que ela falava "em nome da Comissão", e seu presidente, José Manuel Barroso, deu seu apoio pessoal.