ONG pede proibição de vídeos fetichistas com maus-tratos a animais

Agência AFP

WASHINGTON - A organização de defesa dos animais Humane Society instou, esta quarta-feira, ao Senado americano, que proíba a venda dos chamados vídeos "crush", filmes sexuais fetichistas nos quais pequenos animais são mortos ou mutilados.

Em julho, a Câmara de Representantes (câmara baixa) já tinha aprovado a proibição, prevendo multas e até cinco anos de prisão pela venda ou distribuição destes vídeos.