Papa sente muita dor pelo escândalo de pedofilia na Bélgica, diz porta-voz

Agência AFP

BRUXELAS - O Papa Bento XVI sente muita dor em função das revelações sobre a magnitude dos escândalos de pedofilia na Igreja belga nas últimas décadas, declarou nesta segunda-feira a um televisão da Bélgica o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi.

"Naturalmente, o Papa sente muita dor depois da publicação de um relatório que revela mais de uma centena de testemunhos de vítimas de abusos sexuais", declarou o porta-voz à tv RTL-TVI.

A Igreja católica belga afirmou nesta segunda-feira que vai tentar tirar lições do escândalo de pedofilia sem precedentes que atingiu seus padres, depois da publicação na sexta passada de um relatório que revela mais de uma centena de testemunhos de vítimas de abusos sexuais durante os últimos 50 anos.

O relatório da "Comissão para o tratamento de queixas de abusos sexuais em uma relação pastoral", criada pela Igreja, mas dirigida por um psiquiatra independente, Peter Adriaenssen, revelou ter recebido, entre janeiro e junho de 2010, cerca de 500 queixa por parte de vítimas.

O professor Adriaenssen também anunciou que 13 pessoas cometeram suicídio.