Irã anulou libertação de turista americana, diz procurador

Agência AFP

TEER - As autoridades iranianas anularam a libertação da turista americana detida há mais de um ano no país, acusada de espionagem e de ter entrado no Irã de forma ilegal, anunciou nesta sexta-feira o procurador de Teerã, citado pela agência Ilna.

Abbas Jafari Dolatabadi explicou à Ilna que o procedimento jurídico não tinha sido finalizado. Nestas condições, "a libertação foi anulada", disse o procurador de Teerã.

"A Justiça não valida a informação divulgada (sobre sua libertação) e, naturalmente, toda decisão sobre a acusada dependerá de um procedimento completo, completou.

Esperava-se a libertação de Sarah Shourd no sábado "por compaixão islâmica", coincidindo com a de Aid El Fitr, que marca o fim do mês do jejum do Ramadã, segundo declarou nesta sexta-feira o porta-voz de Relações Exteriores iraniano, Ramin Mehmanparast, ao canal iraniano Press-TV.

A mulher foi detida junto a outros americanos, Shane Bauer e Josh Fattal, por tropas iranianas em 31 de julho de 2009, depois de ter cruzado a pé a fronteira iraniana procedente do vizinho Curdistão iraquiano.

Os três asseguram que atravessaram a fronteira por erro, depois de terem se perdido quando faziam uma caminhada. Eles são acusados de espionagem e de entrada ilegal no Irã.