EUA admitem 'obstáculos' no diálogo de paz no Oriente Médio

Agência AFP

WASHINGTON - Os Estados Unidos admitiram nesta segunda-feira a existência de "obstáculos imediatos" no recente diálogo de paz entre Israel e os palestinos, estimando que haverá um "período decisivo" nas próximas semanas.

"Enfrentamos obstáculos imediatos, que esperamos resolver nas duas próximas semanas", declarou Philip Crowley, porta-voz do departamento de Estado, na véspera de uma reunião, no Egito, entre o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahum, e o presidente palestino, Mahmud Abbas, com a presença da secretária americana de Estado, Hillary Clinton.

O fim do congelamento parcial das colonizações judaicas segue programado para o dia 26 de setembro e os palestinos já advertiram que tal decisão sepultará o diálogo direto que acaba de ser retomado.

O presidente americano, Barack Obama revelou na semana passada que pediu a Netanyahu que prolongue a moratória sobre as colonizações.

Sem citar este caso em particular, Crowley disse hoje que "para superar os desafios imediatos" as duas partes deverão "adaptar às posições que já adotaram publicamente sobre os temas essenciais".

"É por isto que a secretária de Estado está a caminho do Oriente Médio, para fazer avançar as partes", destacou o porta-voz, assinalando que Washington "espera ver progressos durante esta reunião e as seguintes".