Descartado plano 'D' de resgate de mineiros chilenos

Agência AFP

SANTIAGO - As autoridades chilenas descartaram, esta segunda-feira, a proposta de um plano de resgate para retirar 33 mineiros pela boca da jazida onde estão presos no norte do Chile, por considerar a proposta "perigosa" e "inviável".

Enquanto isso, a perfuradora Strata 950 ('plano A') alcançou 256 metros dos 700 necessários para se chegar até os mineiros. O plano 'B' (T-130) está paralisada desde a quinta-feira passada, devido ao rompimento de uma ferramenta, e o plano 'C' (perfuração através de uma sonda petroleira) está em implantação.

A proposta do 'plano D', feita pelo especialista Miguel Fort, é "perigosa e inviável", disse o coordenador das operações de perfuração, René Aguilar, em entrevista coletiva na mina de San José, onde estão presos os mineiros.

"Os planos oficiais são os A, B e C. A equipe técnica soube pela imprensa da versão que circulava. Esta manhã, pedimos a uma pessoa que se aproximasse para conversar com nossos técnicos" sobre a nova proposta, e "nos demos conta de que é extremamente arriscada", destacou.

Os planos 'A', 'B' e 'C' consistem em perfurar túneis estreitos até onde se encontram os mineiros, para retirá-los por ali.

Mais cedo, o engenheiro Fort explicou por telefone à AFP ter apresentado às autoridades um 'plano D' de resgate dos mineiros presos, que consistiria em chegar até eles pela boca da mina.

"O plano consiste em entrar novamente na mina pela boca e tentar chegar até os mineiros pela chaminé. É preciso colocar sensores para ver se a área está estável, se não há atividade geotérmica", afirmou, após contar que estava aguardando uma resposta das autoridades para sua proposta.

Uma fonte do governo consultada pela AFP havia dito que a equipe encarregada do resgate estava reunida para avaliar a oferta e dar uma resposta.