Pastor pode suspender queima do Alcorão se a Casa Branca pedir

Agência AFP

WASHINGTON - O pastor evangélico da Flórida que está no centro de uma polêmica mundial pelo plano de queimar exemplares do Alcorão afirmou nesta quinta-feira que suspenderá o plano no caso de um pedido do governo.

Terry Jones, líder da pequena igreja integrista "Dove World Outreach Center" (Centro da Pomba para Ajudar o Mundo, em tradução livre), declarou ao jornal USA Today que não foi contactado pela Casa Branca, o Pentágono ou o Departamento de Estado sobre a ideia de queimar, no próximo sábado, 200 exemplares do Alcorão para marcar o nono aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001.

"Se isto acontecesse, definitivamente nós voltaríamos a pensar. Isto é o que estamos fazendo agora. Não penso que uma ligação deles seja algo que queremos ignorar", disse Jones.

O presidente Barack Obama classificou nesta quinta-feira de "destrutivo e perigoso" o plano da igreja de queimar exemplares do Alcorão. Também afirmou, em uma entrevista ao canal ABC, que a atitude pode incentivar uma onda de recrutamento das organizações terroristas, como a Al-Qaeda, que executou os atentados de 2001, que mataram pelo menos 3.000 pessoas.