Um segundo imigrante sobreviveu à matança de 72 pessoas no México

Agência AFP

QUITO - O presidente do Equador, Rafael Correa, afirmou ue uma segunda pessoa, de nacionalidade hondurenha, além de um equatoriano, sobreviveu à matança de 72 imigrantes latino-americanos no México semana passada, segundo declaração divulgada nesta quarta-feira pela presidência.

Correa disse ter recebido confirmação do fato por parte do equatoriano Luis Freddy Lala Pomavilla, que escapou do massacre fingindo-se de morto. Pomavilla foi repatriado no domingo.

"No entanto, não queremos pôr em risco o outro sobrevivente, um hondurenho", afirmou o presidente ao retornar a Quito depois de uma visita ao Haiti.