Oficial da ditadura argentina: recebi ordem para matar todos

Agência AFP

DA REDAÇ O - Antonio Pernías, ex-oficial de Inteligência da Marinha argentina, disse nesta quinta-feira à Justiça que recebeu ordens do alto comando durante a ditadura argentina (1976-1983) para matar todos, presos políticos e dissidentes.

Pernías, acusado do sequestro, tortura e desaparecimento de duas freiras francesas, além de dezenas de crimes de lesa-Humanidade, revelou que a ordem de extermínio geral veio do vice-almirante e chefe de operações navais, José María Mendía.

"Olhe Pernías, recebi ordens para não ficar ninguém vivo", disse o ex-oficial durante uma sessão do julgamento da "Escola de Mecânica da Armada", um dos maiores centros de tortura e execução de presos políticos na Argentina.

Ao menos 5 mil pessoas passaram pela "Escola de Mecânica" e apenas uma centena sobreviveu, segundo organismos de direitos humanos.