Nova greve contra reforma da aposentadoria em 23 de setembro na França

Agência AFP

PARIS - Seis sindicatos franceses convocaram nesta quarta-feira uma nova jornada de greves e manifestações em todo o país no próximo dia 23, para protestar contra a reforma do sistema de aposentadoria promovida pelo presidente Nicolas Sarkozy.

O anúncio da nova greve acontece horas depois que Sarkozy afirmou que não vai recuar na decisão de aumentar de 60 para 62 anos, a partir de 2018, a idade mínima para a aposentadoria, um dos principais pontos da reforma da previdência que seu governo pretende aprovar, um dia depois de uma grande mobilização no país contra a medida.

"De nenhuma maneira mudaremos este ponto", declarou Sarkozy na reunião semanal do conselho de ministros, segundo o Palácio do Eliseu, sede da presidência.

Sarkozy reiterou que a reforma do sistema de aposentadorias defendida por seu governo, apresentada na terça-feira no Parlamento, é "uma das mais importantes, já que no momento em que uma aposentadoria em cada 10 é financiada pela dívida, devemos garantir aos franceses que suas aposentadorias e as de seus filhos serão pagas".

A reforma, criticada na terça-feira nas ruas das principais cidades do país por mais de um milhão de pessoas, segundo a polícia, e quase três milhões, de acordo com os sindicatos, prevê elevar a idade mínima a partir de 2018 e aumentar de 65 a 67 anos a idade para obter uma aposentadoria completa, os dois pontos mais polêmicos.