Mineiros tinham dois pedaços de atum e meio copo de leite

Agência AFP

SANTIAGO - Os 33 mineiros presos há 18 dias em uma mina do norte do Chile sobreviveram até agora com "duas colheres de atum e meio copo de leite a cada 48 horas", revelou a senadora Isabel Allende.

A senadora pela região de Atacama explicou à AFP que teve acesso à ficha médica de um dos mineiros, que revelou estar "comendo duas colheradas de atum e meio copo de leite a cada 48 horas".

Equipes médicas entraram em contato com o grupo por um sistema de comunicação enviado através do duto aberto até o ponto sob a terra, com o qual se estabeleceu a primeira comunicação no domingo, e foi possível constatar "o perfeito estado de saúde de todos", segundo a médica Paula Newman.

A médica informou que o grupo já recebeu um solução com glicose a 5% e comprimidos de omeprazol, um medicamento para revestir o estômago para evitar possíveis úlceras devido à falta de alimentação.

Os engenheiros estão concluindo um levantamento topográfico para poder abrir um novo acesso à mina, e vão coordenar as ações com o grupo soterrado quando as máquinas iniciarem o trabalho.

O tempo para se chegar ao grupo, estimado em entre três e quatro meses, ainda não foi comunicado aos mineiros, que receberão tarefas diárias e serão monitorados por médicos e psicólogos.

O grupo ficou preso a 700 metros sob a terra no dia 5 de agosto, após um desabamento em uma mina de cobre e ouro situada 800 km ao norte de Santiago.