Justiça francesa condena filho de dirigente histórico do ETA

Agência AFP

PARIS - A justiça francesa condenou à revelia, nesta quarta-feira, a seis anos de prisão por associação criminosa com fins terroristas, Egoitz Urrutikoetxea, filho do dirigente histórico do ETA José Antonio Urrutikoetxea, conhecido como "Josu Ternera".

A Corte de Apelações decidiu nesta quarta-feira seguir o pedido feito pela procuradoria na audiência do dia 16 de junho, para que Egoitz Urrutikoetxea fosse condenado a seis anos de prisão.

O ministério público apelou então da sentença pronunciada em primeira instância em novembro de 2009 pelo Tribunal de Paris.

Nascido em Bayonne (sudoeste) e de nacionalidade francesa, Egoitz Urrutikoetxea já havia sido condenado a dois anos de prisão por ter alugado em Vichy (centro da França) um apartamento utilizado para a organização separatista armada basca ETA.

O local foi descoberto pela polícia francesa em julho de 2005.

Egoitz Urrutikoetxea, de 36 anos, está foragido e tem uma ordem de detenção em seu nome.