Ex-presidente Carter liberta americano na Coreia do Norte

Agência AFP

SEUL - O ex-presidente americano Jimmy Carter deixou a Coreia do Norte nesta sexta-feira, após obter a libertação de um cidadão dos Estados Unidos detido no país, anunciou a agência Nova China.

Jimmy Carter havia chegado a Pyongyang na quarta, em uma missão humanitária pessoal para tentar a libertação de Aijalon Mahli Gomes, condenado a oito anos de trabalhos forçados por entrar ilegalmente na Coreia do Norte pela fronteira com a China.

"Carter e Aijalon Mahli Gomes subiram a bordo de um avião e abandonaram o país", anunciou a agência oficial chinesa.

A agência norte-coreana (KCNA) informou que Carter teve um encontro com o número dois do país, Kim Yong-Nam, que preside a Assembleia Popular Suprema da Coreia do Norte.

Segundo a Nova China, Carter também se encontrou com o vice-ministro das Relações Exteriores, Kim Kye-Gwan, encarregado do expediente nuclear. A reunião durou cerca de cinco minutos e ocorreu no aeroporto, antes de sair do país".

Gomes, 30 anos, que trabalhou como professor de inglês na Coreia do Sul, foi detido em janeiro, condenado e multado em abril a pagar o equivalente a US$ 700 mil.

Em julho, a imprensa estatal norte-coreana noticiou que Gomes tentou cometer suicídio e foi levado a um hospital. Jimmy Carter já havia realizado uma viagem sem precedentes à Coreia do Norte em 1994, quando os Estados Unidos estavam a um passo da guerra com o regime de Pyongyang devido a seu programa nuclear.

Na ocasião, Carter conseguiu baixar a tensão entre Washington e o líder norte-coreano, Kim Il-Sung.

No ano passado, outro ex-presidente democrata americano, Bill Clinton, viajou à Coreia do Norte para facilitar a libertação de duas jornalistas americanas detidas pelo regime norte-coreano.