Em Washington, Abbas condena ataque de Hebron

Agência AFP

WASHINGTON - O presidente da Autoridade Nacional Palestino (ANP), Mahmud Abbas, condenou nesta terça-feira, a partir de Washington, o ataque mortífero contra colonos israelenses na Cisjordânia, estimando que visava a "perturbar o processo político" na véspera da retomada das negociações diretas com Israel.

Em um comunicado divulgado por sua assessoria de imprensa em Washington, onde chegou nesta terça-feira, "o presidente palestino e a direção palestina condenaram o atentado que ocorreu em Hebron, partindo do princípio de nossa rejeição a qualquer ataque visando civis, sejam eles israelenses ou palestinos".

Quatro colonos israelenses foram mortos nesta terça-feira à noite no ataque realizado próximo ao assentamento de Kyriat Arba, vizinho a Hebron (Cisjordânia), e reivindicado pelo movimento islamita Hamas, hostil às negociações com Israel.

A direção palestina considerou que "o objetivo deste atentado reivindicado pelo Hamas é simplesmente perturbar o processo político. Ele não pode ser considerado um ato de resistência".

O atentado foi registrado no pior momento para Abbas, que se prepara para retomar na quinta-feira as negociações diretas com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu em Washington sob o patrocínio do governo americano.

Os palestinos temem que este ataque reforce a posição intransigente de Israel sobre a segurança durante essas negociações. Depois de sua chegada a Washington, Netanyahu ordenou que os agressores sejam perseguidos "sem restrições diplomáticas".