Colômbia anuncia prisão de dois ex-integrantes das Farc

Renata Giraldi, Agência Brasil

BOGOTÁ - Em menos de 24 horas, as Forças Armadas da Colômbia informaram ter prendido seis suspeitos de envolvimento com as guerrilhas que atuam no país. Dois deles, que são apontados como membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), foram encontrados usando os uniformes de uso exclusivo dos militares e estavam com dois fuzis. Segundo os militares, dois ex-integrantes das Farc abandonaram a guerrilha e entregaram-se ao governo colombiano.

As informações são do Exército da Colômbia. A captura dos dois homens supostamente ligados às Farc ocorreu hoje (8). Também hoje o Exército disse ter oferecido proteção, na região de Valle del Cauca, a dois ex-integrantes da guerrilha que se apresentaram espontaneamente aos militares, abandonando as Farc. Segundo os militares, os dois ex-guerrilheiros entregaram armas e munições.

Ontem (9) à tarde, foram presos mais quatro suspeitos, cujas ligações políticas não foram divulgadas, e apreendidas armas, munições e drogas. Um dos homens foi preso com 70 gramas de cocaína e uma granada e outro suspeito estava com maconha. Os suspeitos foram colocados à disposição das autoridades competentes.

O Exército informou que, nos últimos dias, foram intensificadas as ações de combate às guerrilhas em todo país. Locais considerados acampamentos dos grupos terroristas e arsenais militares foram destruídos, de acordo com dados dos militares.

Há uma semana, ao visitar Brasília e São Paulo, o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, reiterou que é prioridade do governo o combate aos grupos armados no país. Para Santos, os países vizinhos à Colômbia cooperam ao rechaçar o uso do terrorismo como instrumento político. Na ocasião, Santos elogiou o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na luta contra as Farc e o Exército da Libertação Nacional (ELN).

Edição: Lana Cristina