Chile: começa operação para enviar alimentos a mineiros presos

Agência AFP

SANTIAGO - Depois de reforçar o pequeno duto por onde os 33 mineiros presos há 18 dias em uma mina conseguiram se comunicar com as equipes de resgate no Chile, começa nesta segunda-feira uma operação para enviar com rapidez alimentos, água potável e outros itens para o grupo, informou Laurence Golborne, ministro da Mineração.

O ministro indicou que as equipes trabalharam durante toda a noite para reforçar as paredes do orifício de 8 centímetros de diâmetro aberto entre a superfície e o refúgio onde estão os mineiros, a 700 metros de profundidade.

"Estamos terminando o reforço do poço. Isso vai impedir que se feche", explicou Golborne.

"Depois, vamos retomar o contato com eles, e vamos iniciar o envio de (...) água com glicose e de uma série de outros elementos que permitirão mantê-los com vida", acrescentou.

Para o transporte dos itens até o fundo da mina, serão utilizados tubos de plástico azuis. A prioridade neste momento é fazer chegar até os mineiros água, medicamentos e alimentos condensados.

No domingo, o grupo conseguiu enviar através deste duto uma mensagem informando que estão todos bem, após 17 dias presos na mina.

Segundo Golborne, operações paralelas tentarão perfurar em outros pontos "para conseguir outras vias de comunicação".