Venezuela pedirá aos EUA extradição de presidente da Globovisión

Agência AFP

CARACAS - O Supremo Tribunal venezuelano (TSJ) autorizou o governo, esta terça-feira, a pedir a extradição de Guillermo Zuloaga, presidente da TV privada Globovisión, crítica ao governo, que estaria nos Estados Unidos e tem um julgamento aberto na Venezuela por crime de "usura".

Segundo a sentença Nº 376 da Sala de Cassação Penal, publicada em sua 'conta diária', no site do TSJ na internet, se "declara procedente a solicitação de extradição ativa dos cidadãos Guillermo Antonio Zuloaga Siso e Guillermo Zuluoaga Núñez ao governo dos Estados Unidos da América".

Com esta autorização, o ministério das Relações Exteriores pode proceder à formalização do pedido de extradição ao governo americano.

No fim de junho, Zuloaga foi formalmente acusado, ao lado do filho, de "usura", por causa dos cerca de 20 carros armazenados irregularmente, segundo a promotoria. Os dois podem ser condenados a penas de até cinco anos de prisão.

O empresário de 67 anos apareceu pela última vez em público em julho, quando se apresentou à Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) para "buscar a Justiça" que assegura que lhe foi negada na Venezuela.

Pouco depois deu entrevista à Globovisión nos Estados Unidos, em que reiterou ser vítima de perseguição do governo do presidente Hugo Chávez, que repudia estas críticas.