Ruanda: zonas de votação são abertas para eleições presidenciais

Agência AFP

KIGALI - Os ruandeses começaram a comparecer às urnas na manhã desta segunda-feira para escolher seu novo chefe de Estado, na segunda eleição presidencial desde o genocídio de 1994, na qual o atual presidente Paul Kagame é considerado grande favorito.

As zonas eleitorais abriram as portas às 6h no horário local (4h GMT) em Kigali, e fecharão às 15h (13h GMT) em todo o país.

Segundo a comissão eleitoral ruandesa, 5,2 milhões de eleitores estão registrados para votar nos 15.507 centros de votação espalhados pelo país.

Kagame, de 52 anos, parte como favorito, principalmente devido à falta de uma oposição real. O homem que liderou a "nova Ruanda" depois do genocídio de 1994 tenta se reeleger para um segundo mandato de sete anos, após ter vencido o pleito de 2003 com 95% dos votos.

Kagame é líder da Frente Patriótica Ruandesa, antigo partido tutsi que pôs fim ao genocídio, e enfrenta três candidatos que o apoiaram em 2003.

A comissão credenciou 1.394 observadores, 214 dos quais estrangeiros. Entre os organismos que enviaram representantes para supervisionar as eleições estão a União Africana e o Commonwealth de Nações - na qual Ruanda ingressou em 2009 -, além de várias embaixadas africanas e ocidentais.

A União Europeia enviou quatro especialistas, que devem elaborar um relatório apenas para uso interno da UE.

A campanha eleitoral, que durou duas semanas e meia, correu sem incidentes violentos ou distúrbios, segundo a comissão eleitoral.