Promotor apela de condenação de ex-dirigente do Khmer Vermelho

Agência AFP

PHNOM PENH - A promotoria anunciou uma apelação da condenação a 30 anos de prisão do ex-diretor da penitenciária Phnom Penh durante o regime cambojano do Khmer Vermelho, Duch, com o objetivo de obter uma pena mais longa, anunciou o tribunal especial da ONU.

"A apelação se justifica pela gravidade dos crimes de Duch, pelo papel que cumpriu e pela participação voluntária nos mesmos", afirma um comunicado do tribunal especial.

Em 26 de julho, o tribunal internacional condenou pela primeira vez um ex-alto funcionário do Khmer Vermelho, com uma pena de 30 anos de prisão contra Duch.

Duch, cujo verdadeiro nome é Kaing Guek Eav, foi considerado culpado de crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

A promotoria pediu uma pena de 40 anos, mas Duch alegou que era apenas um simples funcionário do regime de Pol Pot e que estaria fora da competência do tribunal.

Duch foi diretor da penitenciária de Tuol Sleng, onde segundo as estimativas 15.000 pessoas foram torturadas e assassinadas entre 1975 e 1979.