Presidente do Chile visita mina onde trabalhadores estão soterrados

Agência Brasil

SANTIAGO - O presidente do Chile, Sebastián Piñera, ordenou hoje pessoalmente a intensificação das operações de regaste dos 33 trabalhadores soterrados em uma mina, em San José. Há 12 dias, os mineiros estão sob os escombros. As dificuldades de acesso ao terreno e à área muito acidentada complicam as ações dos bombeiros, profissionais de saúde e engenheiros. Pela terceira vez, Piñera foi ao local e tentou acalmar os parentes das vítimas.

Vamos seguir trabalhando, como temos feito, e realizando o que é humanamente possível e não temos economizado esforços para isso , afirmou Piñera. As informações são da Presidência da República do Chile.

''Estamos trabalhando em muitas frentes: há sete sondas sendo colocadas. O objetivo é prover a alimentação, a hidratação e a comunicação'.

O presidente lembrou ainda que paralelamente há o planejamento para, por meio de um túnel, instalar uma rampa para chegar até o local onde estão presos os trabalhadores. Segundo ele, há apoio técnico enviado pelos Estados Unidos. Também afirmou que há um trabalho de investigação em curso para apurar as responsabilidades pelo acidente.

Dirigindo-se aos parentes, que estão no local da mina à espera de notícias, Piñera disse que dará total apoio a eles. Quero dar a vocês, parentes dos trabalhadores da Empresa San Esteban [responsável pela mina de San José], que estão angustiados, a minha palavra que não vamos deixá-los sozinhos e vamos acompanhá-los neste difícil momento que passam .

O acidente ocorreu no último dia 5. As causas que provocaram o desabamento de terra ainda não foram reveladas. Os 33 mineiros se encontram a cerca de 700 metros de profundidade. Equipes de psicólogos e terapeutas voluntários estão de plantão acompanhando os parentes dos trabalhadores, que permanecem presos sob os escombros.