Iraque: Allawi e Maliki rompem negociações para formação de governo

Agência AFP

BAGDÁ - O Bloco Iraquiano, do ex-primeiro-ministro laico Iyad Allawi, apoiado por sunitas, rompeu as negociações para a formação de um governo com a Aliança do Estado de Direito (AED), do premier Nuri al-Maliki, anunciou o porta-voz de Allawi.

"Encerramos as negociações com a Aliança do Estado de Direito", afirmou à AFP Mayssun Damaluji, porta-voz do Bloco Iraquiano.

"O motivo é que em uma entrevista na televisão, Maliki declarou que o Bloco Iraquiano era um bloco sunita".

"Não somos sunitas. Nosso projeto é nacional", insistiu Damaluji, antes de afirmar que o bloco exige um pedido de desculpas. "Sem desculpas não negociaremos", completou.

Cinco meses depois das eleições legislativas de 7 de março, os iraquianos aguardam a formação do novo governo e o nome do próximo primeiro-ministro.

O partido de Allawi - um xiita que defende um programa laico apoiado pelos sunitas - reclama o direito de formar o governo, depois de ter obtido 91 das 325 cadeiras do Parlamento. A AED de Maliki obteve 89.

Os sunitas, favorecidos durante o regime de Saddam Hussein e que por muito tempo foram a coluna vertebral da elite e da classe média do país, constituem aproximadamente 20% da população iraquiana.