Berlusconi pede que seus aliados defendam governo das fofocas

Agência ANSA

CIDADE DO VATICANO - O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, chamou hoje seus partidários à mobilização permanente, ao afirmar que o governo aprovou medidas importantes enquanto os adversários "fofocavam".

"Estamos juntos em merecidas férias ao final de um ano difícil, no qual o governo enfrentou com determinação, eficácia e competência os desafios para uma Itália mais moderna e segura. Nos últimos dez dias, enquanto outros produziam as fofocas habituais, nós aprovamos quatro procedimentos importantes", apontou ele.

Berlusconi citou um pacote de medidas econômicas "que coloca em segurança as contas do Estado e prevê decisivas inovações no campo da simplificação legislativa", uma reforma universitária "fundamental para recolocar no centro o mérito em detrimento do poderio político", a modificação dos códigos rodoviários e as políticas de combate às máfias.

O governo italiano enfrenta uma crise interna intensificada pelo rompimento, no final de julho, entre o premier e o presidente da Câmara dos Deputados, Gianfranco Fini, seu aliado histórico e um dos fundadores do partido governista Povo da Liberdade (PDL).

Na semana passada, o primeiro-ministro passou por uma prova com a votação de uma moção de desconfiança no Congresso contra um dos membros de seu gabinete. O texto não foi aprovado, mas se tivesse sido poderia levar à antecipação das eleições.

Segundo divulgaram membros do PDL na sexta-feira, Berlusconi pretenderia se submeter a um voto de confiança do Parlamento em setembro -- quando as atividades econômicas e políticas são retomadas após a pausa do verão europeu -- e um eventual resultado negativo faria com que ele renunciasse.

Ainda na mensagem divulgada no site Clubes da Liberdade, ligado ao PDL, o premier afirmou que "uma mobilização permanente é necessária para contrastar os derrotistas e as personalidades que colocam os interesses particulares antes do bem do país".

"Agimos bem, mas é preciso comunicar. Por esse motivo, peço que sejam um megafone das ações do governo. Devemos conseguir colocar em cada praça dos 8100 municípios da nossa Itália um banquinho, um púlpito nosso, com nossos apoiadores que expliquem quanto o governo conseguiu realizar em dois anos de trabalho apaixonado", completou Berlusconi.