Autoridades comparecem ao velório de ex-presidente italiano

Agência ANSA

ROMA - Diversas autoridades compareceram hoje ao velório do ex-presidente e senador vitalício da Itália Francesco Cossiga, que morreu ontem em Roma após ter permanecido internado com problemas respiratórios por nove dias.

Os primeiros a chegar no local para homenagear o político foram o presidente italiano, Giorgio Napolitano, e os titulares da Câmara dos Deputados, Gianfranco Fini, e do Senado, Renato Schifani.

"O testamento deixado pelo presidente emérito da República, Francesco Cossiga, aos parlamentares é governar a serviço do povo, o único soberano do nosso Estado democrático", disse Schifani, que permaneceu cerca de meia hora na igreja central da Universidade Católica de Roma, onde é velado o corpo.

Também compareceram os ministros da Justiça, Angelino Alfano, da Economia, Giulio Tremonti, do Meio Ambiente, Stefania Prestigiacomo, e o de Simplificações Normativas, Roberto Calderoli, além do vice-chanceler Vincenzo Scotti.

Outras personalidades da política italiana presentes foram o presidente emérito da Itália Carlo Azeglio Ciampi, o senador vitalício da República Giulio Andreotti e a prefeita de Milão, Letizia Moratti. O embaixador dos Estados Unidos na Itália, David Thorne, visitou rapidamente o cerimonial.

Em carta enviada a Napolitano, o titular da Comissão Europeia (órgão Executivo da União Europeia), José Manuel Durão Barroso, ressaltou "a grande contribuição de Francesco Cossiga à vida social, política e democrática da Itália e da Europa".

Barroso recordou o senador como um "observador atento das relações internacionais, testemunha direta da queda do Muro de Berlim, um evento que revolucionou o erário político e com o qual estava pessoalmente empenhado".

O enterro do ex-presidente italiano, que foi chefe de Estado da nação entre 1985 e 1992, ocorrerá amanhã, às 10h30 (5h30 no horário de Brasília), em Sassari, na Sardenha.