Ao lado de Chávez, Lula defende união entre países

Portal Terra

CARACAS - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao participar nesta sexta-feira, da reunião de abertura da Secretaria da Cúpula América do Sul-África (ASA), em Caracas, afirmou que, após o término de seu mandato, o Brasil continuará demonstrando "a mesma disposição" em busca da unidade que por muito tempo foi uma "retórica" de discursos, segundo informou a agência Ansa.

Já em tom de despedida, Lula recordou sua experiência nestes oito anos de governo e ressaltou a importância da aliança entre as duas regiões, que possuem, segundo o mandatário, grande potencial, além de serem iguais por pensarem "na construção" de um futuro comum.

O presidente, ao lado do líder venezuelano, Hugo Chávez, prometeu ainda - após o término de seu mandato, em 1º de janeiro de 2011 - estar disponível para contribuir com a América Latina e com a África.

Lula chegou à Venezuela pouco depois das 11h locais (12h30 no horário de Brasília). Ele foi recebido pelo vice-presidente Elías Jaua e, logo, uniu-se a Chávez e ao secretário-geral da União das Nações Sul-Americanas (Unasul), Néstor Kirchner, que está em Caracas desde ontem.

O principal tema dos encontros deverá ser a crise entre Colômbia e Venezuela, cujas relações estão rompidas desde o último mês. Lula, assim como Kirchner, pede por uma solução pacífica e negociada entre as duas nações.

Acompanha o presidente nesta viagem o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. Ainda hoje, o brasileiro parte rumo a Bogotá, onde deverá chegar no fim do dia para assistir amanhã à cerimônia de posse de Juan Manuel Santos, presidente eleito em 20 de junho.