Crise entre Venezuela e Colômbia será tema de reunião da Unasul

Agência Brasil

QUITO - A crise entre a Colômbia e a Venezuela será tema de uma reunião na próxima quinta-feira, em Quito, no Equador. Os ministros das Relações Exteriores da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) foram convocados extraordinariamente pela presidência pro tempore do bloco para buscar uma solução que encerre o impasse e evite o agravamento do conflito na região.

A iniciativa foi divulgada em um comunicado do Ministério das Relações Exteriores do Equador país que ocupa a presidência da Unasul. Integram o bloco as seguintes nações: Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Peru, Argentina, Paraguai, Uruguai, Guiana, Suriname, Chile e Venezuela. A decisão de convocar a reunião foi tomada pelo presidente do Equador, Rafael Correa, que preside a Unasul temporariamente.

Criada em maio de 2008, a Unasul é uma organização regional cujo objetivo principal é o fortalecimento do desenvolvimento da América do Sul. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva também quer colaborar na construção do diálogo entre a Colômbia e a Venezuela. No próximo dia 6, ele se reúne com o presidente venezuelano, Hugo Chávez. No dia 7, Lula participa da cerimônia de posse do presidente eleito da Colômbia, Juan Manuel Santos.

Para o presidente do Equador, é fundamental buscar alternativas para superar o conflito envolvendo a Colômbia e Venezuela. Também há uma expectativa de uma sessão extraordinária da Organização dos Estados Americanos (OEA) para debater o tema.

As tensões entre a Venezuela e a Colômbia se agravaram no último dia 22, depois que Chávez anunciou o rompimento das relações com o governo do presidente colombiano, Álvaro Uribe.

Chávez tomou a decisão depois que, em sessão extraordinária da OEA, o embaixador da Colômbia na organização, Luis Alfonso Hoyos, mostrou fotografias, vídeos e testemunhos na tentativa de comprovar a existência de 87 acampamentos e 1,5 mil guerrilheiros em território venezuelano.

A acusação da Colômbia fez Chávez anunciar a ruptura de relações diplomáticas com o país vizinho. Paralelamente, ele iniciou um processo de articulação com os presidentes sul-americanos para a mediação do conflito.

Encaminhar a mediação do conflito para o âmbito da Unasul pode deixar de lado os Estados Unidos que também integram a Organização dos Estados Americanos (OEA) e são o principal aliado da Colômbia no continente.