Carcereiro do Khmer Vermelho é condenado por crimes contra humanidade

Agência AFP

CAMBOJA - O ex-carcereiro do Khmer Vermelho, conhecido como Duch, foi considerado culpado nesta segunda-feira, no Camboja, por crimes contra a humanidade. O veredicto foi anunciado pelo tribunal de crimes de guerra do Camboja, que conta com o apoio da ONU (Organização das Nações Unidas).

Duch, de 67 anos, cujo nome real é Kaing Guek Eav, foi condenado a 35 anos de prisão. Ele admitiu ter coordenado a tortura e execução de milhares de homens, mulheres e crianças na conhecida prisão de Tuol Sleng e pediu perdão por seus atos.

Os outros líderes do Khmer Vermelho que ainda aguardam julgamento são o "Camarada Número Dois" Nuon Chea, o ex-chefe de Estado Khieu Shampnah, o ex-ministro das Relações Exteriores Ieng Sary e sua mulher Ieng Thirith, que era ministra de Questões Sociais.