Exército venezuelano está a postos na fronteira com a Colômbia

Agência AFP

CARACAS - O exército venezuelano marcha até a fronteira com a Colômbia e estará pronto para obedecer às ordens do presidente Hugo Chávez, que posicionou suas tropas em "estado de alerta máximo" depois de ter rompido suas relações com Bogotá, anunciou nesta sexta-feira o ministro da Defesa.

"As forças armadas nacionais bolivarianas mantêm sua preparação operacional e estão prontas para obedecer às ordens do comandante-em-chefe e presidente da República", declarou o ministro da Defesa, general Carlos Mata, em uma declaração lida no canal de televisão oficial, VTV.

São mais de 20 mil homens mobilizados na fronteira.

Chávez anunciou na quinta o rompimento de "todas as relações" com a vizinha Colômbia, colocando o exército em "estado de alerta máximo", após Bogotá ter reafirmado que líderes da guerrilha colombiana viviam "impunes" no território venezuelano.

"O governo pode contar com uma resposta determinada se forças estrangeiras tentarem violar o solo sagrado do maior homem da América", acrescentou o ministro, referindo-se ao Libertador e grande herói venezuelano, Simón Bolívar que, além de libertar a Venezuela, também livrou a Colômbia.

O ministro desmentiu "categoricamente" as acusações do embaixador colombiano na Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Hoyos, que, na quinta-feira, denunciou a presença de 1.500 guerrilheiros e dezenas de acampamentos rebeldes colombianos dentro da Venezuela.

O exército venezuelano esforça-se para combater o narcotráfico e a presença de rebeldes colombianos em seu território, assegurou.