Espanha oferece ajuda para superar crise entre Colômbia e Venezuela

Agência ANSA

MADRI - A Espanha se juntou ao coro de países que se declaram "preocupados" com o rompimento das relações diplomáticas entre Venezuela e Colômbia, e se colocou à disposição para ajudar na superação da crise bilateral.

Em uma nota, o Ministério das Relações Exteriores da nação europeia assegurou esperar "que a situação possa ser superada no menor tempo possível".

"O governo espanhol está disposto a unir seus esforços com os dos outros países latino-americanos e dos organismos regionais para atingir este objetivo", continuou o comunicado da chancelaria.

A ruptura foi anunciada ontem pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez, em paralelo à apresentação, durante uma sessão extraordinária do Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA), de evidências que comprovariam a presença de guerrilheiros colombianos no país.

As imagens, vídeos e coordenadas encaminhadas pelo representante do governo de Álvaro Uribe na OEA, Luis Alfonso Hoyos, se refeririam a integrantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e do Exército de Libertação Nacional (ELN), cuja permanência seria tolerada pelas autoridades venezuelanas.

As tensões no relacionamento diplomático entre as duas nações já vinham desde julho de 2009, quando as relações foram "congeladas" depois que Chávez foi acusado por Bogotá de contrabandear armas para guerrilheiros.