Coliseu fica às escuras para exigir a libertação de Shalit

Agência AFP

ROMA - Centenas de pessoas assistiram, na noite desta quinta-feira, a uma cerimônia simbólica diante do Coliseu, que teve suas luzes apagadas, durante manifestação para exigir a libertação do soldado israelense Gilad Shalit, sequestrado há quatro anos pelo movimento islamita Hamas, em Gaza.

Noam, o pai do jovem Shalit, de 24 anos, fez um apelo à comunidade europeia e internacional a fazer pressão sobre o Hamas para que liberte o soldado, um "cidadão europeu", uma vez que possui passaporte francês, e foi declarado cidadão "de honra" de Roma.

Os manifestantes foram convocados pelas organizações Ben'' Brith e União dos jovens judeus italianos, que levavam cartazes e usavam camisetas com os dizeres: "Shalit libero" (liberdade para Shalit).