Vazamento nos EUA é de quase o dobro do que se imaginava

Portal Terra

DA REDAÇÃO - Uma equipe de cientistas americanos elevou nesta terça-feira sua estimativa para o vazamento de petróleo do poço da British Petroleum no Golfo do México. Os cientistas afirmaram que "provavelmente, a vazão de petróleo hoje" varie de entre 35 e 60 mil barris por dia. Isso representa um aumento significativo em relação à estimativa anterior, de entre 20 e 40 mil barris por dia.

Entre 5,5 e 9,5 milhões de l de petróleo vazam por dia no Golfo do México, segundo novos cálculos divulgados nesta terça-feira pelo governo dos Estados Unidos. Isso representa até 3,1 milhões de l a mais do que calculavam os cientistas do governo até agora.

O 'funil' de contenção colocado no final de maio sobre o poço pode capturar até 18 mil barris diários. Por isso, a British Petroleum (BP) instalará um segundo dispositivo do tipo, conhecido como Q4000, que poderia conter entre 20 e 28 mil barris. No total, a estratégia de contenção que a BP desenvolveu, a pedido do governo, prevê expandir a capacidade de captura de petróleo para entre 40 e 53 mil barris diários no final deste mês e de 60 a 80 mil barris até meados de julho.

Os cientistas levaram em conta as análises de uma série de vídeos de alta resolução, tecnologias acústicas e o volume recolhido no navio petroleiro que recebe o óleo. A BP se viu obrigada a suspender nesta terça durante cinco horas as tarefas de transposição devido a um pequeno incêndio no navio de armazenamento.

O presidente Barack Obama realiza nesta terça-feira, no Salão Oval da Casa Branca, em Washington, um pronunciamento à nação para apresentar seu plano de restauração do meio ambiente na costa do Golfo do México, após o desastroso derramamento de petróleo provocado pela explosão da plataforma da empresa British Petroleum (BP).

Obama encerrou nesta terça uma visita de dois dias para vistoriar as regiões atingidas pelo vazamento. "Nós vamos lutar com tudo o que temos", disse Obama em sua última manifestação antes de retornar a Washington. Na passagem pela base aeronaval de Pensacola, Obama discursou para cerca de 3,5 mil soldados e reconheceu que as pessoas estão "assustadas" e "zangadas" com o vazamento, o pior desastre ecológico na história americana.

O vazamento de petróleo no Golfo do México, a catástrofe ecológica mais grave da história dos EUA, começou por causa da explosão e conseguinte afundamento no mar da plataforma Deepwater Horizon, administrada pela BP, em abril. O incidente deixou 11 mortos.