Domingo sangrento: premier britânico pede desculpas

Jornal do Brasil

LONDRES - O governo britânico divulgou o relatório de investigação mais longo da história do Reino Unido sobre o episódio que ficou conhecido como Domingo Sangrento, quando 13 manifestantes foram mortos e 14 ficaram feridos, resultado de uma investida de soldados britânicos na Irlanda do Norte.O chamado Relatório Saville (nome da rua onde o massacre ocorreu) rendeu 12 anos de investigação e custou aos cofres da Grã Bretanha, 200 milhões de libras, equivalente a R$ 600 milhões. A conclusão do inquérito, que produziu 5 mil páginas, foi a de que a brigada de paraquedistas do Exército britânico, comandada pelo general Robert For, disparou primeiro, embora não tenha premeditado as mortes.

Desculpas

Em um pronunciamento no Parlamento, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, pediu desculpas pelo episódio e reconheceu que a ação dos militares britânicos foi errada e injustificável. Na leitura das conclusões, Cameron disse que nenhum alerta foi dado aos civis antes de os soldados abrirem fogo. O relatório registra também que alguns dos que foram mortos e feridos estavam claramente fugindo ou correndo para ajudar os outros manifestantes, e nenhum deles representava ameaça que pudesse justificar os tiros.

As conclusões do relatório são absolutamente claras declarou. Não há dúvida, não há ambiguidades. O que aconteceu no Domingo Sangrento foi injustificado e injustificável. Foi errado.

O relatório Saville deixou os militares paraquedistas no anonimato para evitar retaliações de dissidentes do IRA (Exército Republicano Irlandês) e ficaram livres de inquérito criminal. Antigos militantes da luta armada norte-irlandesa foram ouvidos durante as investigações, e eles garantiram que os manifestantes estavam desarmados na ocasião. Agora a decisão de processar os culpados será tomada pela Justiça britânica.

Massacre

No episódio, ocorrido em 30 de janeiro de 1972 na cidade norte-irlandesa de Londonderry, militares britânicos massacraram católicos separatistas que participavam de uma manifestação por direitos civis. Outras 14 pessoas ficaram feridas no incidente, das quais uma delas veio a morrer. O dia ficou marcado como o mais significativo do conflito entre católicos separatistas e protestantes unionistas, que ao longo de 30 anos deixou mais de 3.500 mortos. O episódio levou centenas de jovens a se juntar ao IRA, que desejava a união do território com a vizinha Irlanda. O dia também ficou gravado na memória de gerações na voz do vocalista Bono Vox, do grupo irlandês U2, com a canção Sunday Bloody Sunday (Domingo Sangrento).

Emoção

Parentes das vítimas se reuniram na cidade de Londonderry e realizaram uma marcha carregando cartazes pedindo justiça. Eles fizeram um minuto de silêncio antes de ouvir o anúncio do relatório e comemoraram os resultados, 38 anos depois da tragédia.

Quando o Estado mata seus cidadãos, ele deve ser responsabilizado por isso disse Tony Doherty, filho de um dos manifestantes mortos.

Catherine Kelly, irmã de uma das vítimas acrescentou que agora seu irmão vai descansar em paz. O outro irmão, John Kelly, sente-se aliviado.

O que importa é que todos saibam que ele era inocente desabafou.

Com agências