Holanda: liberais superam trabalhistas por uma cadeira

Agência AFP

HAIA - Os liberais superam os trabalhistas por uma cadeira na Câmara dos Deputados da Holanda, após as eleições legislativas antecipadas realizadas nesta quarta-feira, segundo resultados provisórios sobre 88% dos votos, revela a agência holandesa ANP.

O partido liberal VVD, de Mark Rutte, 43 anos, obtinha 31 cadeiras sobre o total de 150 da Câmara, enquanto os trabalhistas do PvdA, do ex-prefeito de Amsterdã Job Cohen, 62 anos, somavam 30 cadeiras.

Na terceira posição aparece o Partido pela Liberdade (PVV), do líder de extrema direita Geert Wilders, 46 anos, que obteve 24 cadeiras.

O PVV, que lidera "uma cruzada contra a 'islamização'", passou de 9 para 24 deputados e agora pretende entrar em uma coalizão governamental.

O Partido Democrata Cristão (CDA), do atual premier, Jan Peter Balkenende, 54 anos, que possuia 41 deputados, obteve apenas 21 cadeiras na eleição de hoje.

Os liberais do VVD, partidários da redução do gasto público e de um endurecimento da política de imigração, saltaram de 21 para 31 cadeiras.

Os trabalhistas do PvdA perderam duas cadeiras em relação às eleições precedentes, em 2006.

Nenhum dos 18 partidos na disputa obteve votos suficientes para governar sem apoio, mas o VVD deve liderar as negociações para formar uma coalizão.

Balkenende já anunciou que renuncia à direção do partido Democrata Cristão: "disse ao presidente do partido que renuncio imediatamente".

"Não serei membro da nova Câmara baixa do Parlamento", acrescentou Balkenende, informando que continuará dirigindo o governo em fim de mandato até que se constitua a próxima coalizão governamental.

"Os resultados destas eleições são muito, muito depecionantes, são uma bofetada", reconheceu o premier.