Irmã de Evo Morales tem a casa atacada por multidão

Agência Brasil

LA PAZ - A irmã mais velha do presidente da Bolívia, Evo Morales, denunciou que ela e a família são alvos de ameaças de morte e perseguições. A comerciante Esther Morales disse que as ameaças são motivadas por divergências políticas em relação a Evo.

A irmã do presidente contou que teve a casa onde mora atacada por uma multidão raivosa no último sábado. Segundo Esther Morales, o objetivo da ação é afetar negativamente a imagem do presidente boliviano.

As informações são da imprensa oficial da Bolívia, a Agência Boliviana de Informações (ABI). Esther afirmou que teve a casa apedrejada pela multidão. De acordo com ela, o ataque ocorreu depois do enterro de quatro policiais que atuavam nas regiões de Saca Saca e Cala Cala.

Eu jamais na minha vida fui chegada a agressões e também nunca tinha ouvido tantos insultos. Realmente, não entendo. Isso é algo da oposição [a Evo Morales] porque alguns que estavam no momento me disseram que a proposta era encerrar a manifestação aqui [em casa]", afirmou a irmã do presidente boliviano.

Esther Morales disse, porém, não ter feito queixa ao Ministério Público. Ela está preocupada com a segurança dos filhos. Eles [os que ameaçam] disseram que vão matar meus filhos, que irão tirar os olhos dos meus filhos , afirmou ela, que mora na região há 12 anos. Eu tenho a minha lojinha e meus companheiros me conhecem muito bem, eu não sou de brigar com ninguém.

A comerciante contou que no dia do ataque, vários dos manifestantes gritaram a palavra assassinos e exigiam que ela deixasse a casa e voltasse para a região onde nasceu, de Orinoco. Nesse distrito, Evo Morales também nasceu. Para Esther Morales, houve a intenção de provocar "danos e prejuízos ao presidente.