Israel expulsa outros 250 estrangeiros da frota humanitária

Agência AFP

JERUSALÉM - Israel prosseguia nesta quarta-feira com a expulsão de ativistas estrangeiros detidos depois do ataque à frota humanitária pró-palestina, indicou a rádio militar israelense.

A emissora assinalou que foram realizadas 250 expulsões, depois das 45 concretizadas na segunda e terça-feira.

Segundo a agência oficial jordaniana Petra, 126 pessoas, entre elas 30 jordanianos, cruzaram a fronteira pela ponte Allenby. As demais, oriundas do Bahrein, Kuwait, Marrocos, Síria, Argélia, Omã, Iênem e Mauritânia, assim como da Indonésia, Paquistão, Malásia e Azerbaijão.

Por outra parte, 60 turcos esperavam no aeroporto Ben Gurion, de Tel Aviv, para pegar voos especiais para serem repatriados. Outros turocs foram levados para este aeroporto da prisão de Beersheva (sul).

A frota humanitária, de seis barcos, era integrada por 682 pessoas de 42 nacionalidades; 45 já foram expulsas nas últimas 48 horas. Quarenta e oito ativistas permanecem hospitalizados.

Israel também começou a repatriar as famílias do pessoal diplomático de Ancara.

Segundo a rádio, que cita um alto funcionário, a medida diz respeito a cerca de 50 familiares do pessoal do consulado e embaixada de Israel em Ancara.