ONU condena ataque de Israel e exige libertação de presos

Portal Terra

NOVA YORK - Após doze horas de intensas negociações, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) lamentou a perda de vidas e condenou os ataques israelenses - mas não o governo de Israel - contra a Frota da Liberdade, um comboio de seis barcos nos quais ativistas internacionais levavam mantimentos para a população da Faixa de Gaza.

A ONU também exige que os cerca de 400 ativistas presos durante a ação sejam libertados e espera que uma investigação "imparcial" esclareça o ocorrido.

A sessão do Conselho terminou com o pedido de "uma investigação rápida, imparcial e transparente" sobre o incidente desta segunda-feira, ressaltando que a situação de Gaza é "insustentável".

O presidente rotativo do Conselho e embaixador do México na ONU, Claude Heller, disse que o organismo decidiu "pedir a imediata libertação dos navios e dos civis retidos por Israel".

O Conselho começou suas reuniões na segunda-feira, por volta das 14h de Brasília, a pedido da Turquia e do Líbano, país que o presidia até a 0h de 31 de maio, quando o México assumiu o comando para o mês de junho.

"É uma declaração aprovada pelo Conselho durante uma sessão formal, e é um pronunciamento em termos taxativos e contundentes" sobre o incidente, disse Heller ao término da reunião.