UE 'condena' uso da violência em ataque israelense

Agência AFP

BRUXELAS - Os embaixadores dos países da UE divulgaram nesta segunda-feira um texto "condenando" o uso da violência no ataque israelense contra a frota de ajuda aos plestinos de Gaza e pedindo uma investigação "imparcial", indicou uma fonte diplomática à AFP.

"A União Europeia condena o uso da violência que provocou um grande número de vítimas entre os membros da frota e pede uma investigação imediata, completa e imparcial sobre esses fatos e suas circunstâncias", ressalta o texto.

Essa declaração da União Europeia, redigida após uma reunião entre os representantes dos 27 países da UE convocada com urgência em Bruxelas, vai mais além do que a primeira reação da chefe da diplomacia da UE, Catherine Ashton, de manhã.

Ela referiu-se mais claramente à atitude do Exército israelense durante o ataque, embora suas palavras possam também estar voltadas também para eventuais atos de agressão de alguns ocupantes do navio contra as tropas israelenses.

Ashton também pediu uma investigação "imparcial".

O texto da UE "lamenta" a perda de vidas, pede a todos os envolvidos que "reduzam a tensão" e "ressalta a necessidade de se manter as negociações indiretas" de paz entre israelenses e palestinos, segundo a fonte diplomática.