Israel acusa frota de não ter objetivos humanitários

Agência AFP

NOVA YORK - Israel afirmou nesta segunda-feira na ONU que "não há crise humanitária em Gaza" e acusou a frota de ativistas que tentou entregar víveres aos palestinos de ter outros objetivos.

"Apesar de os meios de comunicação terem apresentado a frota como uma missão humanitária para entregar ajuda a Gaza, ela não tinha nada de humanitária", disse o representante israelense na ONU, Daniel Carmon.

"Não eram ativistas pacíficos nem mensageiros da boa vontade. Utilizaram cinicamente uma plataforma humanitária para enviar uma mensagem de ódio e implementar a violência".

O embaixador israelense, cujo país não integra atualmente o Conselho de Segurança da ONU, foi autorizado a falar na reunião de emergência convocada depois do ataque de seu país contra a frota de ativistas.

Segundo Carmon, "não há crise humanitária em Gaza". Completou que esse território "é ocupado por terroristas que expulsaram a Autoridade Palestina mediante um violento golpe e que introduzem armas, incluindo por via marítima".

"Os resultados dos eventos da noite são trágicos e desafortunados, e Israel lamenta a perda de vidas inocentes", disse o embaixador. "Mas (o país) não pode passar por cima de sua própria segurança".