Presidente do Malauí indulta casal gay

Agência ANSA

LILONGUE - O presidente do Malauí, Bingu wa Mutharika, anunciou neste sábado o indulto a um casal homossexual condenado recentemente a 14 anos de prisão por ter organizado a primeira cerimônia simbólica de casamento gay nesse país.

As Nações Unidas, a União Europeia e os Estados Unidos reagiram à condenação reiterando seus pedidos ao governo de Malauí que adotasse uma atitude menos intolerante para com os homossexuais.

O casal havia sido declarado culpado por ter "violado a ordem da natureza" e condenado a uma pena máxima de 14 anos de prisão e a trabalhos forçdos por terem organizado a cerimônia gay.

Tiwonge Chimbalanga, de 20 anos, e Steven Monjeza, de 26, se conheceram em uma igreja no início de 2009 e passaram meses vivendo juntos quando decidiram oficilizar sua união em dezembro passado. Eles acabaram presos.

"Celebro esta decisão muito corajosa de indultar estes dois jovens homossexuais", afirmou Ban, que mandou revogar a lei pela qual foram condenados.

O Malauí é um dos 38 Estados africanos que proíbem a homossexualidade.