Museu de Rotterdã faz exposição do falsificador de quadros de Vermeer

Agência AFP

ROTERDÃ - O Museu Boijmans van Beuningen, de Rotterdã, dedica uma explosição a Han van Meegeren, um dos mais célebres falsificadores de obras de arte do século XX, que vendeu à instituição um falso Vermeer nos anos 30.

"É irônico, mas a arte é ambígua", explica o curador do museu, Friso Lammertse. "Claro que a falsificação é ruim. Mas Van Meegeren era um meste de sua arte, o da falsificaçao", acrescentou.

Han van Meegeren (1889-1947) fez o museu acreditar que "Os peregrinos de Emaús", que ele mesmo pintou, era uma obra de Johannes Vermeer, célebre pintor holandês do século XVII. O falsificador vendeu a obra por 540.000 florins (4,5 milhões de euros).

O quadro atraiu então uma multidão de visitantes ao museu.

Esta exposição, intitulada "Os falsos Vermeer de van Meegeren", apresenta até 12 de agosto alguns dos quadros pintados e vendidos pelo falsificador, esboços descobertos em seu ateliê e seus segredos de falsificação.

O falsificador, detido ao final da Segunda Guerra Mundial por colaboracionismo, reconheceu ser autor dos quadros falsamente atribuídos a Vermeer.

Han van Meegeren morreu de uma crise cardíaca pouco deois de ser condenado, em 1947, a um ano de prisão por falsificação.