Maoístas desmentem ter provocado o descarrilamento de trem na Índia

Agência AFP

NOVA DÉLHI - O porta-voz de um grupo apoiado pela rebelião maoísta indiana desmentiu qualquer responsabilidade no descarrilamento de um trem nesta sexta-feira no leste do país, que deixou 71 mortos, indica a agência Press Trust of India (PTI).

Esta agência anunciou anteriormente que um representante do grupo que dizia ser do "comitê popular contra as atrocidades policiais" reivindicou a sabotagem de um trem de alta velocidade que fazia o trajeto Calcutá-Mumbai, em uma ligação telefônica à PTI.

"Não estamos implicados para nada. Não se trata de uma ação nossa", declarou o porta-voz do grupo, Asit Mahato, citado pela PTI.

Pelo menos 71 pessoas morreram no descarrilamento do trem e 120 pessoas ficaram feridas.

O acidente aconteceu aproximadamente à 1h30 (5h de Brasília) no distrito de Midnapore Ocidental, um reduto maoísta que se encontra 135 km a oeste de Calcutá, a capital de Bengala Ocidental.

O trem, cheio de passageiros adormecidos, descarrilou e bateu contra um trem de carga.