Índia: trem descarrila e deixa 30 mortos em suposto ataque maoísta

Agência AFP

CALCUTÁ - Ao menos 30 pessoas morreram no descarrilamento de um trem de passageiros no leste da Índia, supostamente provocado por um ataque com explosivos de rebeldes maoistas, informou nesta sexta-feira a imprensa indiana.

As autoridades locais apontam 15 óbitos, mas um médico que foi ao local do incidente garantiu ao canal de televisão NDTV que há, pelo menos, 30 mortos.

Segundo o ministro do Interior de Bengala Ocidental, Mortaja Hussain, o trem expresso entre Calcutá e Mumbai teve treze vagões descarrilados, que colidiram com uma composição de carga, e há uma centena de passageiros presos nas ferragens.

O descarrilamento ocorreu por volta da 01H30 local, no distrito de Midnapore Ocidental, bastião maoista a cerca de 135 km de Calcutá, capital da Bengala Ocidental.

O ministro dos transportes ferroviários, Mamata Bannerjee, que visitou o local, "acredita" que o descarrilamento "foi provocado por um ataque maoista".

"As ferrovias são um alvo fácil" para os maoistas.

Segundo a agência Press Trust of India (PTI), o descarrilamento ocorreu após a explosão de uma bomba colocada por rebeldes maoistas.

O governo indiano lançou há alguns meses uma vasta operação, com 56 mil homens e em seis Estados, para derrotar os rebeldes maiostas, que se refugiam nas selvas do país.

Segundo o primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh, a rebelião maoista constitui a principal ameaça contra a segurança interna da Índia.

Os rebeldes controlam territórios importantes, principalmente nas zonas rurais, que ainda não foram beneficiadas pelo crescimento econômico na Índia.