Criminologista é formalmente acusado de morte de prostitutas

Agência AFP

LONDRES - Um estudante de criminologia britânico de 40 anos compareceu nesta sexta-feira a um tribunal para ser formalmente acusado da morte de três prostitutas no norte da Inglaterra, apresentando-se ao magistrado como o "crossbow cannibal", o caníbal da balestra - uma arma antiga, formada de arco, cabo e corda, com que se disparavam setas.

Stephen Griffiths teria assassinado Susan Rushworth, de 43 anos, Shelley Armitage, de 31, e Susan Blamires, de 36, desaparecidas no "bairro vermelho" da cidade de Bradford, na região de Yorkshire.

A polícia deteve Griffiths na segunda-feira, depois de encontrar os restos de Blamires num rio próximo. Os outros dois corpos não foram encontrados.

Convidado a identificar-se durante a audiência em Bradford, ele respondeu: "Canibal da balestra".

Não foi divulgado no tribunal nenhum detalhe sobre as mortes. Griffiths é licenciado em psicologia e cursava um doutorado em criminologia; voltará a ser interrogado no dia 7 de junho, enquanto a polícia prossegue revistando seu apartamento.

A região de Yorkshire foi cenário de 13 assassinatos de mulheres nos anos 70, cometidos por Peter Sutcliffe, conhecido como o "Estripador de Yorkshire", condenado em 1981 à prisão perpétua.