Ban Ki-moon: diálogo com Irã depende da boa vontade dos povos

Agência Brasil

RIO - Ao discursar nesta sexta-feira na abertura do 3º Fórum Mundial da Aliança de Civilizações, no Rio de Janeiro, o secretário geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, reiterou que o compromisso de estabelecer um diálogo para uma convivência pacífica entre todas as nações do mundo depende também da boa vontade dos povos e citou o Brasil como exemplo. Absorvo a força dos brasileiros, pois a boa estrada faz com que o caminho fique menor , disse.

Ele admitiu que os desafios para um entendimento conjunto são muitos e alertou que é preciso acabar o preconceito que divide os povos. A globalização, segundo Ban Ki-moon, também pode separar os povos, se nem todas as nações estiverem conectadas.

O sentimento e o ódio estão a um clique do mouse e às vezes temos a sensação de que os benefícios não estão ao alcance de todos, levando as pessoas a partirem para uma situação mais extrema.

Segundo o secretário geral da ONU, a missão da Aliança de Civilizações tem como itens mais importantes a promoção de uma sociedade mais inclusiva, o acesso ao emprego a jovens de todo o Oriente Médio, a questão da migração na Europa e a difusão de uma educação mais equitativa para os jovens da África.