Americano de origem marroquina admite ter ajudado Al-Qaeda

Agência AFP

WASHINGTON - Um americano de origem marroquina declarou-se culpado nesta quarta-feira de dar apoio material de "ao menos 23 mil dólares" à rede fundamentalista islâmica Al-Qaeda, anunciou o Departamento de Justiça americano.

Khaled Ouazzani, 32 anos, enfrentará até 65 anos de prisão sem possibilidade de liberdade condicional.

O Departamento de Justiça informou em um comunicado que o jovem "prometeu lealdade à Al-Qaeda em junho de 2008". Ele reconheceu ter conspirado para dar apoio material à rede de Osama bin Laden "entre agosto de 2007 e fevereiro de 2010".

Além da ajuda financeira, "discutiu com outras pessoas sobre as diferentes formas de ajudar a Al-Qaeda, incluindo estratégias de combate no Afeganistão, Iraque ou Somália".

Ouazzani também se declarou culpado de fraude bancária e lavagem de dinheiro diante de um juiz federal de Kansas (centro do país), completou o comunicado.